Infraestrutura_do_conhecimento.md 12.5 KB
Newer Older
1
## 2. Infraestrutura e práticas para expansão do conhecimento
2

3
A integração dos princípios apresentados na seção anterior às atividades do ambiente acadêmico traz vantagens ao mesmo tempo em que cria novas oportunidades e desafios. É necessária a criação e adaptação de infraestrutura e práticas para potencializar a expansão do conhecimento acadêmico. Nesta seção destacamos a documentação como prática essencial para a execução de um projeto e as ferramentas para a comunicação e memória de grupos e comunidades envolvidas em projetos. Além disso, apresentamos a bancada dos hiperobjetos como infraestrutura aberta para viabilizar a construção dos HAL em sua forma ideal.
4

5
### 2.1 Documentação de projetos
6

7
A documentação tem um papel fundamental tanto no desenvolvimento quanto na reprodução de *hardware* desenvolvido em acordo com os princípios do *hardware* aberto e livre (HAL). Isto ocorre porque nestes projetos é sobre a documentação que incidem as diferentes licenças permissivas existentes para o HAL, ou seja, a existência da documentação é o que torna o projeto um HAL. 
8

9
Sob os aspectos de conteúdo, a documentação de um HAL não deve ser vista apenas como um manual de utilização mas sim como o projeto em si. Nela devem constar todos os detalhes do projeto incluindo informações sobre todas as partes e peças, tanto as usadas quanto as desenvolvidas, com especial atenção para os arquivos fonte destas últimas. Deve ser tomado o cuidado na devida atribuição aos respectivos autores e licenças de uso, como especificado nas definições apresentadas anteriormente. Além da disponibilização dos arquivos fontes, a documentação deve ser clara quanto aos procedimetos envolvidos na construção, utilização, reprodução e derivação dos projetos.
10

11
Durante a elaboração da documentação é importante a utilização de formatos e ferramentas que sejam universais pois isto permite que estas sejam utilizadas em diferentes plataformas. Os projetos do CTA são todos desenvolvidos em *software* livre visando, com isto, a sua disseminação de uma forma ampla e sem restrições.
12

13
Uma documentação de qualidade, incluindo a sua disponibilidade e reprodutibilidade, fortalece o espírito do HAL estimulando, e facilitanto, a participação no próprio projeto e em suas derivações. Um ótimo exemplo desta prática é o da impressora RepRap (JONES et al., 2011) que rapidamente se tornou um sucesso e criou uma grande comunidade de usuários e desenvolvedores.
14 15 16

### 2.2 Comunicação e memória

17
A comunicação e a memória dos grupos e comunidades que se organizam em projetos no CTA é realizada pela apropriação das ferramentas utilizadas por projetos colaborativos e distribuidos bem sucedidos como por exemplo o kernel Linux e a Wikipédia. 
18

19
Naturalmente, um grupo que se propõe a fomentar e se adequar aos novos paradigmas culturais alinhados com os conceitos de abertura que mencionamos, acaba se diferenciando também em outros aspectos de sua estrutura organizacional. Citamos a seguir algumas das ferramentas e práticas utilizadas no CTA.
20

21
__*Website* para gestão e documentação de projetos__
22

23
O *site* do CTA [^SiteCTA] conta atualmente com uma instância de um sistema de gestão de projetos chamado ChiliProject [^chiliproject], inspirado no Repositório de *Hardware* Aberto do CERN [^OHWR]. A partir da página inicial do *site*, o visitante tem acesso a diversas plataformas de registros utilizadas pelo grupo, sendo também convidado para participar delas. Pode ser encontrada a lista de fóruns, Wiki de suporte e lista de projetos destacados. Temos buscado a apresentação de uma página inicial clara, interessante e simples. Apesar dos grandes avanços no último ano, manter a organização de modo a destacar o conteúdo de acordo com a sua relevância tem se mostrado um desafio.
24

25
O *site* é organizado sob projetos, cada um  conténdo uma Wiki, sistema de tarefas, fórum, repositório de arquivos, entre outras funcionalidades que facilitam a organização de equipes de desenvolvimento bem como a estruturação de um espaço para comunicação entre todos os interessados no projeto. As funcionalidades podem ser ativadas e desativadas pelo mantenedor do projeto.
26

27
**Fóruns**
28

29
Cada projeto pode contar com fóruns para discussão *online*. Na utilização dos fóruns para os nossos projetos procuramos integrar tanto os desenvolvedores dos projetos quanto a comunidade externa que não está necessariamente vinculada à universidade. Como os projetos têm conceitos frequentemente interligados, procuramos discutir os assuntos comuns no fórum do suporte, onde temos discussão sobre as ferramentas utilizadas (como tutoriais, perguntas e dicas), discussão sobre as práticas do CTA, instruções e dicas sobre como colaborar com o Centro. O fórum de encontros periódicos é o fórum tipicamente mais ativo do site.
30

31
**Dinâmica de reuniões**
32

33
Realizamos encontros semanais, em formato presencial, com a finalidade de colocar em contato os  colaboradores do CTA e outras pessoas interessadas no nosso trabalho, integrando as pessoas, os projetos e as ideias que permeiam o Centro. Cada encontro é iniciado com uma apresentação de  cunho variado. Podem ser expostos desenvolvimentos de trabalho dos membros da equipe como também ocorrem discussões organizacionais ou dos fundamentos e diretrizes de trabalho, palestras diversas, estudos de casos onde conhecemos trabalhos desenvolvidos externamente. As apresentações são tipicamente proferidas pelos participantes do CTA, porém, acontece frequentemente de convidados especiais ou vistantes dirigirem a apresentação semanal.
34

35
Cada reunião é gerida por um gestor encarregado de redigir e organizar a pauta, coordenar a reunião e elaborar o relato e encaminhamentos do encontro. As pautas e encaminhamentos de cada reunião são expostas no fórum de suporte, nos "Encontros Periódicos" [^encontros_CTA]. Nessa dinâmica de reunião, observamos como alguns pontos positivos os fatos de que os papéis de gestor e apresentador são rotativos, de modo que todos os participantes do CTA têm a oportunidade de assumir estes papéis num período de algumas semanas. Esta é uma forma garantir que todos adquiram experiência nestes papéis e é também a  forma de distribuir a carga e tipo de trabalho entre os participantes. Assim, os assuntos expostos nas apresentações permanecem atualizados, de forma que os apresentadores adquirem maturidade na apresentação de seus temas e recebem sugestões para encaminhamentos futuros. Os encontros são abertos para a participação de todos os interessados e almejamos, no futuro, proporcionar a participação *online* das reuniões a fim de tornar a reunião semanal mais inclusiva.
36

37
__Lista de *e-mails*__
38

39
Complementamos a comunicação *online* utilizando listas de *e-mails*. Somente alguns projetos possuem lista de *emails*. Além das listas de projetos, possuímos uma lista geral e uma lista para assuntos internos. Para os interessados no CTA, a lista mais recomendada é a lista geral do CTA. Nesta lista costuma-se informar sobre eventos, sobre as reuniões e tópicos relevantes. A lista de assuntos internos é uma lista em que se discutem certas trivialidades cotidianas e tarefas em andamento.
40

41
**GitLab como gestor de repositórios git**
42

43
O git é um  dos mais importantes e poderosos sistemas de controle de versão distribuida. Foi originalmente concebido para controle de versão de grandes projetos de *software* colaborativos, mas também pode ser utilizado para qualquer tipo de projeto. O servidor do CTA abriga uma Instância do GitLab, um gerenciador de repositórios git que permite aos desenvolvedores armazenarem seus projetos e controlarem as suas versões [^git_CTA].
44

45
**Oficinas**
46

47
O CTA realiza oficinas de introdução às ferramentas livres utilizadas para o desenvolvimento de seus projetos assim como oficinas específicas dos projetos. Possuímos uma página chamada "Portfólio de Oficinas" na qual listamos e registramos materiais e referências de algumas das oficinas ministradas de forma que podemos facilmente reproduzí-las e ministrá-las novamente [^portfolio]. Existe um especial cuidado para que o material disponibilizado tenha licenças permissivas e seja confeccionado integralmente em *software* livre, permitindo a sua derivação. As oficinas são elementos catalisadores no compartilhamento do conhecimento produzido no CTA para a comunidade em geral, abrindo canais para a formação de uma comunidade consciente dos projetos desenvolvidos pelo Centro e engajada neles.
48

49
### 2.3  Infraestrutura para o desenvolvimento de HAL: a Bancada dos hiperobjetos:
50

51
Identificando que a carência de infraestrutura aberta e ferramentas de desenho livres limitam as possibilidades de criação de *hardware* de acordo com os princípios de abertura e liberdade do conhecimento, o CTA se propôs a atuar neste elo fraco da cadeia produtiva dos HAL, concebendo o conceito da Bancada dos Hiberobjetos (PEZZI, 2015). O fortalecimento deste elo é importante para ampliar as possibilidades de criação (desenho e fabricação) de HAL efetivamente documentado de acordo com os principios citados na seção 1.
52

53
Esta bancada é composta por i) um conjunto de máquinas de fabricação digital e tem por objetivo a materialização dos hiperobjetos e ii) as ferramentas digitais para desenho e simulação dos componentes de *hardware*. A intenção é que as máquinas da bancada sejam autoreplicantes, assim como o que ocorreu com a impressora 3D Reprap (JONES et al., 2011), pois esta liberdade estimula a inovação e a colaboração no desenvolvimento da própria bancada.
54

55
A bancada de hiperobjetos sendo desenvolvida com estes princípios visa a abrir o caminho para que boas práticas de desenvolvimento colaborativo se fixem na comunidade e, com isto, que padrões e parâmetros para o desenvolvimento de HAL sejam estabelecidos. Atualmente, o desenvolvimento de HAL apresenta dificulades devido à carência de *softwares* livres para CAD (*computer aided design*) com funcionalidades equivalentes às dos *software* proprietários para algumas áreas, dificultado a criação de hiperobjetos mais complexos. Ou seja, para que os conceitos de liberdade necessários na elaboração de hiperobjetos sejam atingidos, o desenvolvimento de CADs livres de alto nível é essencial.
56

57
Recentemente, o projeto KiCad [^KiCAD] realizou um grande avanço nas possibilidades relacionadas ao desenvolvimento de circuitos eletrônicos ao disponibilizar um *software* livre de alto nível e desempenho comparável às alternativas proprietárias. Com isto, efetivamente viabilizou a comunicação livre de, e entre, projetos de circuitos eletrônicos. Ansiamos por outros programas CAD livres capazes atuar em outras áreas de engenharia como desenhos mecânicos.
58

59 60 61
A principal dificuldade encontrada atualmente para o desenvolvimento de máquinas CNC que compõe a bancada de hiperobjetos, e que estejam de acordo com os critérios para os hiperobjetos é a falta de um *software*CAD mecânico livre. Foi feita a opção pela aquisição de uma licença educacional de um CAD mecânico acessível compatível com GNU/Linux chamado VariCAD [^varicad]. Infelizmente, isto faz com que a projetos mecânicos complexos não sejam produzidos totalmente em acordo comos princípios declarados de HAL. 

Na seção 4 descrevemos a primeira máquina elaborada no Centro de Tecnologia Acadêmica para integrar a bancada dos hiperobjetos, a Fresadora PCI João-de-Barro, desenvolvida pelo engenheiro Germano Postal, principal desenvolvedor das máquinas da bancada de Hiperobjetos. 
62

63 64
__Notas:__

65
[^SiteCTA]: Centro de Tecnologia Acadêmica. Disponível em http://cta.if.ufrgs.br/. Acessado em 08 de Janeiro de 2016.
66

67
[^chiliproject]: Página do sistema ChiliProject. Disponível em https://www.chiliproject.org/. Acessado em 08 de Janeiro de 2016. 
68

69 70
[^OHWR]: *Open Hardware Repository*. Disponível em http://www.ohwr.org/. Acessado em 08 de Janeiro de 2016.

71
[^encontros_CTA]: Fórum Encontros Periódicos do CTA. Disponível em http://cta.if.ufrgs.br/projects/suporte-cta/boards/7 . Acessado em 08 de Janeiro de 2016.
72

73
[^git_CTA]: Repositório Git do CTA. Disponível em https://git.cta.if.ufrgs.br/ . Acessado em 08 de Janeiro de 2016.
74

75
[^portfolio]: Portfólio de Oficinas do CTA. Diponível em http://cta.if.ufrgs.br/projects/suporte-cta/wiki/Portf%C3%B3lio_de_Oficinas . Acessado em 08 de Janeiro de 2016.
76

77
[^KiCAD]: Página do software KiCAD. Disponível em http://kicad-pcb.org . Acessado em 29 de Novembro de 2015.
78

79
[^varicad]: https://www.varicad.com acessado em 07 de Julho de 2015.
80