Commit 8775595f authored by Rafael Peretti Pezzi's avatar Rafael Peretti Pezzi

Sex Jan 8 12:35:32 BRST 2016

parent 1514b0e2
This diff is collapsed.
......@@ -14,6 +14,12 @@ Como há projetos de fato *desenvolvidos* — não apenas reproduzidos — pelo
Já há algum impacto gerado pela existência do CTA Jr. na comunidade do CAp, como pode ser evidenciado pelo projeto Sirene Escolar Baseada em Arduino [^sirene], uma sirene aberta que foi desenvolvida a pedido da direção da escola após a apresentação de defeito pela então utilizada. A aquisição de um novo *timer* teria um custo financeiro significativamente maior não fosse o desenvolvimento de tal pelo CTA Jr. À exceção da confecção da placa, feita pelo CTA com a Fresadora João-de-Barro [^FJDB] (um projeto do CTA), todo o desenvolvimento foi feito por alunos de ensino médio do CTA Jr.
A criação de modelos computacionais em física utilizando a linguagem de programação Python/ Vpython 4 e o desenvolvimento de um braço mecânico simples (BRAMESIM)5 são outros exemplos de projetos inteiramente desenvolvidos no CTA Jr.
O primeiro projeto tem como objetivo favorecer a aquisição de competências e concepções associadas à modelagem computacional de sistemas, processos e fenômenos da natureza por parte dos estudantes do Ensino Médio do CAp. Assim, a estratégia didática da modelagem científica, considerada como uma atividade de exploração, criação e validação de modelos cuja a finalidade é compreender a realidade, permite aos estudantes do CAp vivenciar em primeira pessoa a atividade científica de construção de seus próprios modelos computacionais, criando um ambiente em que é possível estabelecer uma conexão entre o mundo abstrato e o mundo concreto, ajudando-o a dar significado ao que é estudado, por meio da conceitualização, da experimentação e, mais recentemente, da simulação. Para Lévy (1993, p.123), “o conhecimento por simulação é sem dúvida um dos novos gêneros de saber que a ecologia cognitiva informatizada transporta”. Nesse contexto, o computador torna-se uma ferramenta indispensável no processo de alfabetização científica e na criação de modelos, pois permite a construção, a experimentação e a reflexão sobre o que é criado de modo interativo, colaborativo e dinâmico. Segundo Lévy (1993, p.122), “um modelo digital, não é lido ou interpretado como um texto clássico, ele é geralmente explorado de forma interativa”. Desse modo, os modelos são corrigidos e aperfeiçoados através de constantes simulações.
Já o projeto BRAMESIM visa o desenvolvimento de um kit de robótica Open Source para construção e programação de um pequeno braço mecânico com três graus de liberdade para manipulação de objetos em um alcance de pelo menos 30 centímetros. Além do protótipo, espera-se, como produto, a publicação da definição do kit. Com isso, espera-se que a robótica educativa possa se desvincular de marcas através do desenvolvimento de aplicações Open Source (de código aberto), projetos abertos que podem ser estudados e modificados a vontade por projetistas, por entusiastas e hobbistas, ou pelos próprios professores e estudantes que usam a tecnologia. Kits dessa natureza podem ser encomendados de diferentes fornecedores, e se beneficiam de uma rede de desenvolvimento solidário que cria novos projetos e definições compatíveis. Essa pode ser uma resposta aos problemas de disponibilidade e compatibilidade apontados, e tornará mais fácil adquirir e repor componentes. Com capacitações no uso dessas tecnologias abertas, ao contrário do que acontece com as proprietárias, o professor ganha uma formação mais ampla e flexível, que pode se adaptar a sua realidade. O contato com o aspecto técnico também é outro ponto positivo, que pode elucidar os alunos sobre a prática da engenharia, um campo que tem despertado pouco interesse nos alunos brasileiros e sofre com a mão de obra. O projeto BRAMESIM prevê o desenvolvimento de um protótipo de um kit de robótica educativa para montar um braço mecânico para aplicações escolares. Ele se baseará em tecnologias já amadurecidas, no caso a placa de controle Arduino, e envolverá o dimensionamento de estruturas e motores, a construção de mecanismos eletrônicos de ativação e a construção de uma biblioteca de programação. Espera-se que o produto final possua pelo menos três graus de liberdade e um alcance de manipulação de trinta centímetros. Ele também será implementado com o uso de diferentes materiais, tais como madeira, alumínio e vinil impresso.
>:Sugiro trocar "quebra" por "mau-funcionamento", "danificação" ou "apresentação de defeito", para uma melhor sonoridade. Já troquei ali no texto em forma de proposta
>: acho que não há necessidade de falar que a fresadora é "(um projeto do CTA)", pois isso será abordado no próximo capítulo e tem uma referência
......
......@@ -32,7 +32,34 @@ O Centro de Tecnologia Acadêmica é parcialmente financiado pelo CNPq.
*** Referências ***
[^REPRAP2011]:
(JONES et al., 2011)
JONES, R.; HAUFE, P.; SELLS, E., IRAVANI, P., OLLIVER, V., PALMER, C., ; BOWYER, A. RepRap - The Replicating Rapid Prototyper, Robotica. Cambridge: Cambridge University Press, 2011. v.29, p.177-191.
PEZZI, R.P.. Ciência aberta: dos hipertextos aos hiperobjetos. In: ALBAGLI, S.; MACIEL, M.L.; ABDO, A.H. (Org.). Ciência aberta, questões abertas. Brasília: Ibict; Rio de Janeiro: Unirio, 2015. doi.org/10.18225/978-85-7013-109-6
BRABHAM, Daren (2008). "Crowdsourcing as a Model for Problem Solving: An Introduction and Cases" (PDF),Convergence: The International Journal of Research into New Media Technologies 14 (1): 75–90,doi:10.1177/1354856507084420. Disponível em: <http://con.sagepub.com/content/14/1/75>. Acesso em: 03 nov. 2015.
ESTELLÉS-AROLAS, Enrique; GONZÁLEZ-LADRÓN-DE-GUEVARA, Fernando (2012), "Towards an Integrated Crowdsourcing Definition" (PDF), Journal of Information Science 38 (2): 189–200,doi:10.1177/0165551512437638: Disponível em: <http://jis.sagepub.com/content/38/2/189.full.pdf+html>. Acesso em: 03 nov. 2015.
LÉVY, Pierre. As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informática. Rio de Janeiro: Editora 34, 1993.
CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 1999.
BENKLER, Yochai. The wealth of networks. How social production transforms markets and freedom. New Haven and Londres: Yale University Press, 2006. Disponível em: http://cyber.law.harvard.edu/wealth_of_networks/Download_PDFs_of_the_book. Acesso em 8 de Janeiro de 2016.
SANTANA, B.; ROSSINI, C.; PRETTO, N. (orgs); Recursos Educacionais Abertos: Práticas Colaborativas e Políticas Públicas, Salvador: Edufba; São Paulo: Casa da Cultura Digital (2012).
ALBAGLI, S.. Ciência aberta em questão. In: ALBAGLI, S.; MACIEL, M.L.; ABDO, A.H. (Org.). Ciência aberta, questões abertas. Brasília: Ibict; Rio de Janeiro: Unirio, 2015. doi.org/10.18225/978-85-7013-109-6
ABDO, A.H. Direções para uma acadêmia contemporânea e aberta. In: ALBAGLI, S.; MACIEL, M.L.; ABDO, A.H. (Org.). Ciência aberta, questões abertas. Brasília: Ibict; Rio de Janeiro: Unirio, 2015. doi.org/10.18225/978-85-7013-109-6
PEARCE, J. M., “Open Source Research in Sustainability”, Sustainability the Journal of Record, 5(4), pp. 238-243, 2012. DOI:http://dx.doi.org/10.1089/sus.2012.9944
PEARCE, J. M. Building research equipment with free, open-source hardware. Science, v. 337, n.6100, p. 1303–1304, 2012.
PERENS, B.; Open Sources: Voices from the Open Source Revolution, O'Really, 1999. Disponível em http://www.oreilly.com/openbook/opensources/book/perens.html . Acesso em 26 de Dezembro de 2015.
PEARCE, J. M., "Building Research Equipment with Free, Open-Source Hardware.” Science 337(6100):1303–1304 (2012)
......@@ -10,7 +10,7 @@ Sob os aspectos de conteúdo, a documentação de um HAL não deve ser vista ape
Durante a elaboração da documentação é importante a utilização de formatos e ferramentas que sejam universais pois isto permite que estas sejam utilizadas em diferentes plataformas. Os projetos do CTA são todos desenvolvidos em software livre visando, com isto, a sua disseminação de uma forma ampla e sem restrições.
Uma documentação de qualidade, incluindo a sua disponibilidade e reprodutibilidade, fortalece o espírito do HAL estimulando, e facilitanto, a participação no próprio projeto e em suas derivações. Um ótimo exemplo desta prática é o da impressora RepRap [^REPRAP2011] que rapidamente se tornou um sucesso e criou uma grande comunidade de usuários e desenvolvedores.
Uma documentação de qualidade, incluindo a sua disponibilidade e reprodutibilidade, fortalece o espírito do HAL estimulando, e facilitanto, a participação no próprio projeto e em suas derivações. Um ótimo exemplo desta prática é o da impressora RepRap [JONES et al., 2011] que rapidamente se tornou um sucesso e criou uma grande comunidade de usuários e desenvolvedores.
### 2.2 Comunicação e memória
......@@ -48,7 +48,7 @@ O CTA realiza oficinas de introdução às ferramentas livres utilizadas para o
### 2.3 Infraestrutura para o desenvolvimento de HAL: a Bancada dos hiperobjetos:
Esta bancada é composta por um conjunto de máquinas de fabricação digital e tem por objetivo a materialização dos hiperobjetos, incluindo as próprias máquinas constituintes da bancada. Esta ideia é fundamental pois permite que as máquinas da bancada sejam autoreplicantes, assim como o que ocorreu com a impressora 3D Reprap [^REPRAP2011]. Esta liberdade não só permite uma redução do custo de "produção" de equipamentos científicos como, também, estimula a inovação e a colaboração no desenvolvimento de HAL.
Esta bancada é composta por um conjunto de máquinas de fabricação digital e tem por objetivo a materialização dos hiperobjetos, incluindo as próprias máquinas constituintes da bancada. Esta ideia é fundamental pois permite que as máquinas da bancada sejam autoreplicantes, assim como o que ocorreu com a impressora 3D Reprap [JONES et al., 2011]. Esta liberdade não só permite uma redução do custo de "produção" de equipamentos científicos como, também, estimula a inovação e a colaboração no desenvolvimento de HAL.
Para que ocorra uma diseminação efetiva do HAL e de sua cultura libertadora, uma documentação com conteúdo de qualidade e facilmente disponível deve ser aliada aos equipamentos da bancada.
......@@ -61,32 +61,19 @@ Recentemente, o prjeto KiCad [^KiCAD] fez um grande avanço no software relacion
[^SiteCTA]: Centro de Tecnologia Acadêmica. Disponível em http://cta.if.ufrgs.br/. Acessado em 08 de Janeiro de 2016.
[^SiteCTA]: Centro de Tecnologia Acadêmica - http://cta.if.ufrgs.br/
[^OHWR]: *Open Hardware Repository*. Disponível em http://www.ohwr.org/. Acessado em 08 de Janeiro de 2016.
[^chiliproject]: Página do sistema ChiliProject - https://www.chiliproject.org/
[^chiliproject]: Página do sistema ChiliProject. Disponível em https://www.chiliproject.org/. Acessado em 08 de Janeiro de 2016.
[^encontros_CTA]: Fórum Encontros Periódicos do CTA. Disponível em http://cta.if.ufrgs.br/projects/suporte-cta/boards/7 . Acessado em 08 de Janeiro de 2016.
[^encontros_CTA]: Fórum Encontros Periódicos do CTA http://cta.if.ufrgs.br/projects/suporte-cta/boards/7
[^git_CTA]: Repositório Git do CTA. Disponível em https://git.cta.if.ufrgs.br/ . Acessado em 08 de Janeiro de 2016.
[^portfolio]: Portfólio de Oficinas do CTA. Diponível em http://cta.if.ufrgs.br/projects/suporte-cta/wiki/Portf%C3%B3lio_de_Oficinas . Acessado em 08 de Janeiro de 2016.
[^git_CTA]: Repositório Git do CTA - https://git.cta.if.ufrgs.br/
[^portfolio]: Portfólio de Oficinas do CTA - http://cta.if.ufrgs.br/projects/suporte-cta/wiki/Portf%C3%B3lio_de_Oficinas
[^REPRAP2011]: JONES, R.; HAUFE, P.; SELLS, E., IRAVANI, P., OLLIVER, V., PALMER, C., ; BOWYER, A. RepRap - The Replicating Rapid Prototyper, Robotica. Cambridge: Cambridge University Press, 2011. v.29, p.177-191.
[^PEZZI-CA2015]: PEZZI, R.P.. Ciência aberta: dos hipertextos aos hiperobjetos. In: ALBAGLI, S.; MACIEL, M.L.; ABDO, A.H. (Org.). Ciência aberta, questões abertas. Brasília: Ibict; Rio de Janeiro: Unirio, 2015. doi.org/10.18225/978-85-7013-109-6
[^KiCAD]: http://kicad-pcb.org (Acesso em 29 de Novembro de 2015)
[^BRABHAM2008]: BRABHAM, Daren (2008). "Crowdsourcing as a Model for Problem Solving: An Introduction and Cases" (PDF),Convergence: The International Journal of Research into New Media Technologies 14 (1): 75–90,doi:10.1177/1354856507084420. Disponível em: <http://con.sagepub.com/content/14/1/75>. Acesso em: 03 nov. 2015.
[^ESTELLÉS-GONZÁLEZ2012]: ESTELLÉS-AROLAS, Enrique; GONZÁLEZ-LADRÓN-DE-GUEVARA, Fernando (2012), "Towards an Integrated Crowdsourcing Definition" (PDF), Journal of Information Science 38 (2): 189–200,doi:10.1177/0165551512437638: Disponível em: <http://jis.sagepub.com/content/38/2/189.full.pdf+html>. Acesso em: 03 nov. 2015.
[^HOWE2006]: HOWE, J. (2006a) ‘Crowdsourcing: A Definition’, Crowdsourcing: Tracking the Rise of the Amateur (weblog, 2 June). Disponível em: <http://crowdsourcing.typepad.com/cs/2006/06/crowdsourcing_a.html>. Acesso em: 04 nov. 2015.
[^SOCIENTYZE]: SOCIENTIY`ZE CONSORTUM. "Green paper on Citizen Science". Disponível em: <ec.europa.eu/newsroom/dae/document.cfm?doc_id=4121>. Acesso em: 04 nov. 2015.
[^KiCAD]: Página do software KiCAD. Disponível em http://kicad-pcb.org . Acesso em 29 de Novembro de 2015.
[^escl]: O Hiperobjeto pode ser entendido como aquele que "utiliza componentes e materiais facilmente acessíveis, processos padrões, infraestrutura aberta, conteúdo irrestrito, e ferramentas de desenho livres". Enquanto a definição de Hardware Open Source traz estes como o caso ideal, no hiperobjeto são condições mínimas.
......
......@@ -41,15 +41,17 @@ Assim, o Shield Arduino Básico possibilita a inserção de um instrumento de en
>: adicionar uma imagem do shield e do evento
>::Quanto a imagem do evento, tem que ver, porque tem as pessoas aparecendo. Talvez só uma imagem do shield seja melhor.
>::: Dever ser uma imagem bem apresentavel. Foto bem alinhada ou melhor ainda, visualização 3D do KiCAD.
>::Alguém sabe se haveria uma foto da própria Oficina Relâmpago que o Jan ministrou? Eu poderia incluir essa imagem
>::: Fotos de oficinas não adicionam nada relevante para o contexto deste artigo
>::Imagem do shield:http://cta.if.ufrgs.br/attachments/download/1857 . Tem como adicionar diretamente aqui no pad?
>::Está foto está horrivel para colocar em um artigo
>: Creio que não, mas tu pode deixar o comando necessário para que apareça no git. Exemplo do comando usado no texto abaixo:
>:![Representação de protótipo da EMM](./figuras/vetoriais/boardproto.svg "Representação de protótipo educacional uma Estação Meteorológica Modular em protoboard")
### 4.3 Shield amplificador de instrumentação
Aquisição de dados, ensino de engenharia, potencial de reuso em outros projetos.
......@@ -85,7 +87,7 @@ Atualmente as estações meteorológicas são construídas utilizando-se a plata
#### 4.4.1 Crowdsourcing
Crowdsourcing pode ser grosseiramente traduzido como construção pelas multidões. Em alguns casos pode viabilizar a solução de problemas que são inviáveis de serem resolvidos por pequenos grupos ou que teriam custos proibiltivamente elevados. Devido a uma dificuldade de consenso em torno do tema, diversas estratégias foram adotadas na busca de uma definição conciliadora, desde comparações com conceitos distintos para definir através do contraste até definições a partir de exemplos de sucesso [^BRABHAM2008], passando pela busca de elementos comuns de todas as iniciativas consideradas crowdsourcing [^ESTELLÉS-GONZÁLEZ2012]. De maneira rudimentar, é possível definir crowdsourcing a partir de sua concepção inicial [^HOWE2006], como a prática de expandir para um grupo de pessoas colaboradoras em potencial uma função que seria de um grupo restrito de empregados (ou ao menos de colaboradores em número restrito) através de chamada aberta. Essa chamada é aberta e é elemento fundamental do crowdsourcing, mas isso não o faz equivalente a código aberto ou abertura, pois uma iniciativa pode ser crowdsourcing sem ter todos os seus processos e códigos-fonte transparentes. Isso não impede que ambos sejam coincidentes e somem eventuais potencialidades e restrições. A sinergia entre ambos faz com que o processo sobre a prática do crowdsourcing seja fluido, pois a modificação e desenvolvimento é facilitado e potencializado pela abertura do conteúdo e da documentação, enquanto que a prática do crowdsoucing contribui aumentando as potencialidades do projeto aberto em questão, por aumentar a comunidade envolvida, fazendo com que o processo seja efetivamente transparente e não invisível.
Crowdsourcing pode ser grosseiramente traduzido como construção pelas multidões. Em alguns casos pode viabilizar a solução de problemas que são inviáveis de serem resolvidos por pequenos grupos ou que teriam custos proibiltivamente elevados. Devido a uma dificuldade de consenso em torno do tema, diversas estratégias foram adotadas na busca de uma definição conciliadora, desde comparações com conceitos distintos para definir através do contraste até definições a partir de exemplos de sucesso [BRABHAM, 2008], passando pela busca de elementos comuns de todas as iniciativas consideradas crowdsourcing [ESTELLÉS; GONZÁLEZ, 2012]. De maneira rudimentar, é possível definir crowdsourcing a partir de sua concepção inicial [^HOWE2006], como a prática de expandir para um grupo de pessoas colaboradoras em potencial uma função que seria de um grupo restrito de empregados (ou ao menos de colaboradores em número restrito) através de chamada aberta. Essa chamada é aberta e é elemento fundamental do crowdsourcing, mas isso não o faz equivalente a código aberto ou abertura, pois uma iniciativa pode ser crowdsourcing sem ter todos os seus processos e códigos-fonte transparentes. Isso não impede que ambos sejam coincidentes e somem eventuais potencialidades e restrições. A sinergia entre ambos faz com que o processo sobre a prática do crowdsourcing seja fluido, pois a modificação e desenvolvimento é facilitado e potencializado pela abertura do conteúdo e da documentação, enquanto que a prática do crowdsoucing contribui aumentando as potencialidades do projeto aberto em questão, por aumentar a comunidade envolvida, fazendo com que o processo seja efetivamente transparente e não invisível.
#### 4.4.2 Ciência cidadã
......@@ -154,5 +156,9 @@ Pode ser entendida como a ciência praticada com a colaboração de cidadãos vo
[^TropOS] CENTRO DE TECNOLOGIA ACADÊMICA. TropOS - o Sistema Operacional Portátil do Laboratório Livre. Disponivel em: http://cta.if.ufrgs.br/projects/tropos/wiki/Wiki. Acessado em 4 de Janeiro de 2016.
[^HOWE2006]: HOWE, J. (2006a) ‘Crowdsourcing: A Definition’, Crowdsourcing: Tracking the Rise of the Amateur (weblog, 2 June). Disponível em: <http://crowdsourcing.typepad.com/cs/2006/06/crowdsourcing_a.html>. Acesso em: 04 nov. 2015.
[^SOCIENTYZE]: SOCIENTIY`ZE CONSORTUM. "Green paper on Citizen Science". Disponível em: <ec.europa.eu/newsroom/dae/document.cfm?doc_id=4121>. Acesso em: 04 nov. 2015.
# O Centro de Tecnologia Acadêmica: princípios e perspectivas
Acreditando que a cultura de ampla colaboração e de continuidade do conhecimento faz-se necessária para suprir as necessidades atuais da humanidade sem prejudicar as gerações futuras, o Centro de Tecnologia Acadêmica do Instituto de Física da UFRGS (CTA IF/UFRGS) foi criado para adotar os princípios da cultura livre em suas atividades. Isto é feito com a utilização e o desenvolvimento de conhecimento e tecnologias livres e abertas. São tecnologias livres e abertas aquelas cujos usuários têm as liberdades de uso, estudo, modificação e distribuição, que garantem autonomia no aprendizado, no uso, desenvolvimento e disseminação dessas tecnologias. Este artigo justifica a escolha das tecnologias livres e abertas, apresentando como as possibilidades de criação, uso e disseminação do conhecimento geradas pela tecnologia digital, que embasam a cultura digital, estão sendo utilizadas e aprimoradas no CTA IF/UFRGS.
Acreditando que a cultura de ampla colaboração e de continuidade do conhecimento faz-se necessária para suprir as necessidades atuais da humanidade sem prejudicar as gerações futuras, o Centro de Tecnologia Acadêmica do Instituto de Física da UFRGS (CTA IF/UFRGS) foi criado para adotar os princípios da cultura livre em suas atividades. Isto é feito com a utilização e o desenvolvimento de conhecimento e tecnologias livres e abertas. São tecnologias livres e abertas aquelas cujos usuários têm as liberdades de uso, estudo, modificação e distribuição, que garantem autonomia no aprendizado, no uso, desenvolvimento e disseminação dessas tecnologias. Este artigo justifica a escolha das tecnologias livres e abertas
>: e das práticas relacionadas, apresentando como as possibilidades de criação, uso e disseminação do conhecimento geradas pela tecnologia digital, que embasam a cultura digital, estão sendo utilizadas e aprimoradas no CTA IF/UFRGS.
Iniciamos com uma breve reflexão sobre os impactos das tecnologias digitais na circulação da informação, do conhecimento e da cultura e apontamos os benefícios dos conceitos de liberdade e abertura do conhecimento aplicados à ciência, tecnologia e educação. Em seguida apresentamos hardware aberto e livre (HAL) como o passo eminente na evolução do desenvolvimento colaborativo de tecnologias. Fazendo uma análise dos conceitos, apontamos para a infraestrutura e metodologias que julgamos necessárias para viabilizar o desenvolvimento colaborativo de instrumentos científicos e educacionais abertos em escala até então vista apenas em projetos de intangíveis como a Wikipédia e o sistema operacional GNU/Linux.
Iniciamos com uma breve reflexão sobre os impactos das tecnologias digitais na circulação da informação, do conhecimento e da cultura e apontamos os benefícios dos conceitos de liberdade e abertura do conhecimento aplicados à ciência, tecnologia e educação. Em seguida apresentamos hardware aberto e livre (HAL) como o passo eminente na evolução do desenvolvimento colaborativo de tecnologias. Fazendo uma análise dos conceitos, apontamos para a infraestrutura e metodologias que consideramos necessárias para viabilizar o desenvolvimento colaborativo de instrumentos científicos e educacionais abertos em escala até então vista apenas em projetos de intangíveis como a Wikipédia e o sistema operacional GNU/Linux.
>: trocaria o "intangíveis" por "de escala glolbal"
Descrevemos como estes conceitos são integrados como princípios no Centro de Tecnologia Acadêmica visando a atualização da academia nos modos de produção, gestão e disseminação do conhecimento. Por fim, apresentamos alguns exemplos de instrumentos abertos desenvolvidos no CTA, juntamente com reflexões sobre o papel que os princípios adotados pelo Centro têm para a formação dos alunos e o impacto que seus projetos podem ter na sociedade pela integração natural com a pesquisa e extensão universitárias.
......
This diff is collapsed.
......@@ -17,6 +17,7 @@ Academia_do_futuro.md \
Infraestrutura_do_conhecimento.md \
CTA.md \
Projetos_documentados.md \
Empreendedorismo.md \
Considerações_finais.md > artigo.md \
&& git commit -a -m "`date`" \
&& git push origin dev_pads
......
Markdown is supported
0% or
You are about to add 0 people to the discussion. Proceed with caution.
Finish editing this message first!
Please register or to comment